12/09/2010

Destino




Olho minha sombra na parede.

E sei...

Nem mesmo ela

há de me sobrar...


Talvez, e apenas, o assombro

de uma ou duas desveladas velas...


ju rigoni (1997)


Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Navegando...

2 comentários:

Eliane F.C.Lima disse...

A vida nada mais é do que assombro. E se escrevemos um poema, como esse, belo, belo (parodiando Bandeira) é uma invasão, repentina, de nossa condição de fantasma, em um mundo paralelo.
Eliane F.C.Lima

DEVA disse...

Caramba, como você escreve!

Adorei seus blogs! Tô vendo que por aqui a coisa é profissional
Mais tarde volto para ler mais...

Beijos
Deva